Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Gajo das Riscas

I'm back

por O Gajo das Riscas, em 08.08.16

O meu último post neste 'blogue' data de... 25 de janeiro.

 

Decidi 'dar um tempo' a isto. Está na moda, certo? O dar um tempo, sublinhe-se. Porque deixar de publicar num blogue equivale praticamente à sua extinção

 

Decidi, porém, não o apagar. E se calhar até fiz bem. O 'bichinho' da escrita está cá e agora, com um pouco mais de tempo, espero poder tirar-lhe o pó.

 

Mãe, estou no Facebook

por O Gajo das Riscas, em 19.01.16

ok.jpg

É o passo natural na evolução de um blogue: a entrada nas redes sociais. Primeiro cria-se um blogue, depois ganha-se seguidores e, em seguida, cria-se uma página no Facebook. Será algo como isto. Mas eu sou diferente, saltei a segunda etapa.

 

Ou seja, a partir de hoje 'O Gajo das Riscas' tem uma página de fãs no Facebook sem ter fãs onde devia ter. Aqui.

 

Sou mesmo ousado. Pode ser que resulte. Já vi coisas piores.

Vamos lá então falar de... mobiliário

por O Gajo das Riscas, em 28.11.15

Há uns dias, partilhei convosco a minha angústia e estranha preocupação em termos de... mobiliário. Deve ser da idade, pensei. Mas, depois de um total de 17 comentários no 'post', achei que não. Que esta comunidade serve mesmo para tirarmos dúvidas e acreditar em novas ideias.

 

Vai daí, e porque não fazia sentido terminar a discussão sem uma... votação, partilho convosco as cinco opções que tenho atualmente em mente (foram já eliminadas bem mais que uma dezena de soluções). Posto isto, pretendo agora a colaboração de todos (os que deram a opinião no 'post' anterior e os que entretanto aqui vieram parar) de modo a chegar a um consenso. E não, aqui não funciona como na política. Quem tiver mais votos... ganha.

 

Para ser mais simples, basta escrever no comentário o número (de 1 a 5) da foto que mais gostaram.

 

1.jpg

 

2.jpg

 

3.jpg

 

4.jpg

 

5.jpg

I'll be back... now

por O Gajo das Riscas, em 25.11.15

Obviamente ninguém deu pela minha ausência. (Ainda) são poucos os visitantes deste meu espaco. Ainda assim, impõe-se a justificação pela ausência mais demorada que o habitual e mais prolongada do que aquilo que pretendo que seja a regularidade deste blogue.

 

O motivo é simples: tirei uns dias de férias, comemorei o meu aniversário e regresso agora, de energias renovadas, para colocarmos a conversa em dia. Combinado?

 

Um até já.

O Gajo das Riscas. Porquê? Porque não?

por O Gajo das Riscas, em 28.10.15

Começo hoje o enésimo blogue pessoal. Até aqui, todos as tentativas têm sido um... fracasso. Já ando nisto da blogosfera há vários anos e, note-se, até já tive sucesso. Não foi, porém, numa coisa pessoal mas sim num projeto editorial, com uma equipa que foi crescendo, com uma plataforma que foi progredindo até se tornar maior que nós próprios. Fechou, pois claro.

aaaa.jpg

 

Mas agora, neste momento em que estou à beira de entrar nos 30, achei que nada perdia em atirar, uma vez mais, o barro à parede. Um blogue pessoal, um blogue sobre tudo e sobre nada, um modo de me distrair e distrair os outros.

 

Como em muita coisa, faltava... o essencial: que título? que nome para um blogue pessoal? Que nome ideal para me resumir e, ao mesmo tempo, tornar o blogue único? A resposta: uma característica que, não sendo unicamente minha, distingue-me do rebanho.

 

A prova surgiu minutos antes da criação do blogue quando, no local de trabalho, e quando alguém pretendia falar comigo mas sem saber o meu nome, lançou a dica: "Aquele gajo das riscas." O meu obrigado eterno à pobre alma que me resumiu ao meu vestuário.

 

A verdade é que, dizem, as riscas nem me beneficiam. Há umas semanas, então, a frase foi elucidativa: "Nunca mais vistas isso"; disse-me uma colega/amiga, precisamente aquela que me veio dizer que tinha sido resumido a um "gajo das riscas" pela outra pobre alma.

 

Assim sendo, porque não "O gajo das riscas"? Talvez não me beneficie mas sinto-me bem com elas. E espero sentir-me bem por aqui. No 'Sapo Blogs'. Uma coisa moderna, dizem.