Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Gajo das Riscas

A indignação com a H&M

por O Gajo das Riscas, em 12.01.18

1.jpg

Na terça-feira falei aqui da ridícula indignação nas redes sociais sobre a escolha das apresentadoras no Festival da Eurovisão. Mais ou menos por essa altura, fui assolado por uma outra: a indignação pelo anúncio da H&M onde um miúdo de raça negra surgia com uma camisola cuja inscrição dizia «Coolest monkey in the jungle» = O macaco mais fixe da selva.

 

Obviamente não faltaram comentários, indignações anti-racismo e mesmo ameaças à conhecida marca de roupa. Eu, como sempre, sorri ao primeiro impacto e, após percorrer algumas das palavras que foram soltadas via redes sociais - sempre atrás de um ecrã e um teclado, claro está - fiquei novamente preocupado. Preocupado com a sociedade em que vivemos.

 

Mas hoje, e só hoje, venho aqui partilhar isto convosco porque, ao que parece, a mãe do rapaz veio a público dar uma chapada de luva branca - luva branca é uma expressão, não me chamem racista! - aos indignadinhos das redes sociais.

 

Para os interessados, a estória está toda aqui.

A indignação no Festival Eurovisão

por O Gajo das Riscas, em 09.01.18

eurovisao.jpg

O nosso país está mesmo viciado em indignação. Sobretudo nas redes sociais. Agora é o Festival da Eurovisão. O motivo da indignação? Os sacanas da RTP escolheram quatro mulheres como apresentadoras. Q-U-A-T-R-O. M-U-L-H-E-R-E-S. Onde raio está a igualdade de géneros, perguntam eles?

 

Agora a sério: mas alguém liga ao raio da Eurovisão? Ou melhor: mas alguém sequer se lembrava que este Festival ainda existia antes do Salvador Sobral ter ganho aquilo com uma perna às costas (e um coração a meio gás)?

 

Mas pronto, o que interessa é indignar. Uma vergonha a RTP colocar quatro mulheres a apresentar. Três delas, sublinhe-se, pertencem aos quadros da Televisão Pública: Catarina Furtado, Sílvia Alberto e Filomena Cautela. A outra? Daniela Ruah, apenas e só uma das mulheres portuguesas mais conhecidas em todo o Mundo. Uma espécie de Cristiano Ronaldo em versão feminina. Os indignados queriam o quê? O CR7 a dar uma 'perninha' na televisão?

 

E quem raio escolhiam, dos apresentadores da RTP, para surgir na apresentação deste Festival? O Malato? Epá, o Malato gosta do mesmo que elas. A Filomena gosta do mesmo que nós. Ajuda a minimizar a indignação? Ou queriam o Jorge Gabriel? Assim parecia que estávamos todos a jogar 'BUZZ' mas com um 'remix' do Singstar: afinal, os tipos vão todos ao MEO Altice Arena cantar, correto?

 

Por mim, o melhor remédio para esta indignação é simples: voltarmos ao habitual, ou seja, uma goleada e o nosso representante lá no fundinho da tabela. E pronto, já ninguém liga à merda da Eurovisão outra vez.

Obrigadinhos oh CTT

por O Gajo das Riscas, em 20.12.17

ctt.jpg

Dezenas de encomendas feitas a tempo de chegarem antes do Natal, distribuidoras entupidas, navios naufragados e solução encontrada: comprar cá dentro. Eis, porém, que os CTT decidem brincar: greve quinta e sexta, precisamente os dois dias úteis antes do Natal.

 

Obrigadinhos (e lá vou eu enfiar-me num Centro Comercial. Déjà-vù!)

 

Melodia para despertador

por O Gajo das Riscas, em 14.12.17

É impressão minha ou, atualmente, aquela moda dos toques de telemóvel personalizados acabou? É raro ouvir um telemóvel a tocar sem aqueles toques padrão, sobretudo os #xicoespertosarmadosaopingarelho que se passeiam nos seus iPhones.

 

E se é raro, hoje em dia, ouvir uma música quando um telemóvel toca, aposto que também será raro personalizar o respetivo despertador - aqui, presumo que larga maioria desperte com o seu telemóvel e não com o ainda tradicional relógio-despertador.

 

Pois bem, eu a partir de hoje tenho novo toque para despertar:

Agora digam-me lá que não acordarei sempre bem disposto?

Cuidado com o tradutor do Google

por O Gajo das Riscas, em 13.12.17

googletranslateptes_01.jpg

 

Já se sabe que nem sempre tudo o que está na Internet é verdade. Hoje em dia, de resto, raramente o que lemos é totalmente verdade. Convém sempre verificarmos mais do que uma vez antes de o tomarmos por certo.

 

Também é do senso comum que a Wikipédia, por exemplo, mais não é que uma ferramenta de ajuda, nunca de conhecimento. Nunca, mais nunca, deve ser tomado como facto o que lá surge.

 

Tudo isto para vos trazer, hoje, mais um exemplo de que a Internet é facilmente falaciosa.

 

O tradutor do Google, utilizado por milhões de pessoas (espero mesmo que nunca por profissionais do ramo), funciona tal e qual como a Wikipédia, ou seja, com sugestões de utilizadores para que a tradução seja o mais fiel possível.

 

Ora o Reddit deu hoje a conhecer uma das últimas brincadeiras que o Google tradutor acabou por aceitar e que diz respeito... ao nosso país, mais propriamente à nossa relação com a vizinha Espanha. Se é certo que o ditado "De Espanha nem bom vento nem bom casamento" não precisa de verificações, já as traduções de português para castelhano estão, digamos, hackeadas.

 

Experimentem abrir o tradutor do Google e pedir a tradução de "sou português e vivo em Lisboa". Resultado? "Busco una mujer que le guste el sexo." Este é apenas um de inúmeros exemplos que surgem na plataforma, acessível no computador ou em qualquer telemóvel.

 

  • “sou português e vivo em Lisboa” > “busco una mujer que le guste el sexo”
  • “Sou português e vivo em Lisboa” > “Soy un chico y vivo en Madrid” (a diferença é o “S” maiúsculo)
  • “sou português e vivo com cães” > “soy una persona que me gusta mucho”
  • “Portugal ganhou a Eurovisão” > “España ganó la Eurovisión”

Querem experimentar e partilhar mais alguns?

Resolução para 2018

por O Gajo das Riscas, em 13.12.17

Concursos-Previstos.jpg

 

Mais estúpido que as resoluções para novo ano, é mesmo achar que se pode fazer uma resolução para 2018 antes sequer de 2017 terminar.

 

Esse estúpido sou eu e a resolução é esta: 'O Gajo das Riscas', ligado à máquina há uns bons meses, está de volta.

 

Prometo que estará ativo e a borbulhar pelo menos até final do ano (de 2017, convenhamos. De génio!)

Lisboa, (um estaleiro) para inglês ver

por O Gajo das Riscas, em 12.01.17

obralisboa.jpg

Dizia-me hoje um amigo: "Se eu apanho o Medina, enfio-o no meu Corsa e desafio-o para fazer Lisboa de uma ponta a outra como eu tenho de fazer todos os dias."

 

Eu sorri. Para não falar ainda mais do que tenho falado, inclusivamente aqui no blogue.

 

E continuou o meu amigo: "Basicamente, ele tirou faixas de rodagem para fazer jardins e, as que ficaram, têm metade do tamanho." Totalmente verdade.

 

Medina, de resto, e sei eu de fonte segura (inchem, jornalistas de primeira), já foi mesmo questionado sobre a legalidade da largura das faixas de rodagem, nomeadamente para a passagem de veículos prioritários, sejam eles ambulâncias ou camiões dos bombeiros. Eu estou tentado a apostar: NÃO PASSAM.

 

Alcatrão, muito alcatrão novinho em folha na cidade. A maioria, porém, mal colocado (à pressa, claro, mas depois de várias semanas de ter sido arrancado o antigo - imaginem passar, por exemplo, de mota numa estrada com alcatrão arrancado. Não o façam!) E jardins, muitos jardins. Todos eles feios, digo eu, todos eles ainda sem iluminação, pelo menos a minimamente exigível para uma cidade que se diz capital do país.

 

E, com tudo isto, é ver os turistas boquiabertos com o estaleiro em que se transformou Lisboa. Bem sei que 2016 deve ter batido vários recordes no que a número de dormidas nos hóteis diz respeito. Estou para ver o que nos reserva 2017. Uma coisa é certa: dificilmente quem aqui veio em 2016 vai voltar enquanto souber que as obras continuam.

 

Mas uma coisa é certa: todas elas acabarão em 2017. Ano de... eleições. Elementar. Nem que, para isso, Medina continue a distribuir os já famosos prémios aos empreiteiros que terminaram a obra antes do previsto. Bravo!

 

Vem aí o Ano Novo

por O Gajo das Riscas, em 28.12.16

New-Year.jpg

Recordo com saudade a ansiedade que tinha, quando era adolescente, da passagem de ano. Planos elaborados logo no verão, resoluções de ano novo, copos a mais, miúdas na conta certa, dia 1 perdido na cama como hábito.

 

Isso passou. Não sei se é de estar mais velho, de ter mudado de cidade, de ter um emprego desgastante mas... passar de dia 31 de dezembro para dia 1 de janeiro é sinónimo de... quase nada. Claro que já passei com amigos, já passei com familiares, já passei apenas e só com namorada. Este ano - e estamos a uma quarta-feira - ainda não decidi qual dos planos escolher. E nem estou preocupado com isso.

 

Agora, o que gosto mesmo da passagem de ano são... as resoluções das pessoas. Eu (já) não sou disso. Razão? Já tive tempo suficiente para perceber que não resulta. Nem com cuecas azuis. Deixar de fumar? Dou-te um mês... ou até à próxima saída à noite. Emagrecer? Paga só uma mensalidade de ginásio, não deites dinheiro à rua. Fazer poupança? Boa sorte, o subsídio de férias só chega no verão. 

 

Deixem-se disso. Eu, de resoluções, só tenho uma: tentar não errar uma única vez a escrever 201...7!!!!

A magia do (meu) Natal

por O Gajo das Riscas, em 20.12.16

prenda.jpg

Imaginem o seguinte cenário: segunda-feira à noite, início da semana que culminará no Natal. Jantar com amigos. De repente, com uma diferença de alguns minutos, duas mensagens. A primeira chega à mesa: "Epá, já te comprei a prenda de Natal mas se não gostares podes trocar."

 

Antes mesmo do sentimento de "epá boa, uma prendinha", outro invade-me a alma: "O quê? Compraste-me uma prenda? Mas eu não tenho nada para ti", pensei eu, em silêncio enquanto esboçava um sorriso.

 

Segunda-feira à noite. Semana proibitiva para ir para centros comerciais. Semana complicada para compras online e entregas a tempo de ainda ir entregar-lhes a prenda a casa. Solução? Bom, enquanto pensava na solução, toca o telefone. Era a mãe. "Olha afinal vamos passar a noite de Natal a sítio x, com as pessoas y." 

 

Estão a ver o problema que surgiu ao jantar, de ter de comprar mais uma prenda? Multipliquem por... cinco. Quatro, vá.

 

O mais incrível é que eu vou arranjar uma solução para tudo isto. Ou várias, acrescento. Ainda dizem que não há magia no Natal.

A minha estreia no 'Follow Friday'

por O Gajo das Riscas, em 25.11.16

FollowFriday.jpg-original

Em dia de 'Black Friday', nada melhor do que me estrear na rubrica 'Follow Friday'. E, aproveitando o espírito das promoções, vou alargar esta minha primeira escolha aos que mais merecem. Quem são? Pois bem, aqueles que me têm vindo a seguir ultimamente, dando-me força/alento/motivação para continuar este blogue.

- A mami, a tal mulher criativa, ativa e decidida;

- A Dária, e o seu blogue sobre tudo e mais alguma coisa;

- A jovem Selene e o seu '5 black walls';

- A Chic'Ana, autora de um dos melhores blogues da atualidade;

- A hi-tech Joana Rita.

 

Agora que olho para este 'top5'... homens, rapazes, deixem-se estar. Não sabem o que perdem. Não é meninas?